12 de agosto de 2008

O tempo do grito...


Fazer silêncio... Eis algo que ninguém faz de livre vontade, de livre arbítrio, em liberdade... O silêncio está sempre constrangido, limitado pelo barulho que nos rodeia e não nos faz ouvir o que o próprio silêncio nos diz. O silêncio assusta, faz temer o que está para vir, faz-nos perder os pontos de orientação como se de uma bússula se tratasse, faz-nos esconder para que ninguém nos encontre, faz-nos desesperar e muito mais... O silêncio é hoje o nosso maior inimigo! Porquê?

Segundo algumas correntes filosóficas, para cada coisa, existe o seu oposto. Naturalmente, só sabemos o que é o silêncio porque sabemos o que é o barulho mas o que não sabemos é quando é que o silêncio faz barulho! E não deixa de estar silêncio á nossa volta... Parece impossivel mas não o é.

Quantas vezes estamos calados em silêncio mas dentro da nossa cabeça parece que estamos num parque de diversões onde subimos e descemos vertiginosamente nas sendas do pensamento, nas preocupações latentes, na maior confusão de uma grande cidade... Tudo dentro deste pequeno espaço confinado á nossa cabeça...

Tudo o que se gera, tudo o que se pensa é o que aqui chamamos de barulho...
Mas tudo o que pensamos é barulho????

Claro que não! O barulho existe quando dispomos o nosso corpo exteriormente ao silêncio mas dentro, no nosso pensamento, um barulho insurdecedor que às vezes, abala-nos como se de um terramoto se tratasse...

Este é o silêncio que nós vivemos...

Preocupante não é???

O silêncio apenas contempla a alma, fala com ela, abre-se a ela pois o silêncio é impossivel de ouvir por isso façam o esforço de escutar a voz do silêncio.

Para a ouvir basta calar, e para a comprender basta escutar...

Que silêncio...

E é tão fácil de escutar...

Shiuuuuuuuu...

O silêncio está a falar...
e tu estás a gritar...




Um comentário:

Sandra Ferreira disse...

Adorei a leitura...
Tens um dom que eu desconhecia, o Dom da palavra escrita.
Fizeste-me pensar...
Beijinhos continua a escrever
Sandra